Seu navegador não tem suporte JavaScript! Música Inclusiva – Instituto Humanus
Intituto humanos 05

Música Inclusiva

Da esquerda para a direita: Dr. Paulo Zancaneli (advogado da Humanus), Rodolfo Sonnewend (presidente), Maestro João Carlos Martins e Ricardo Bellino (empresário e ex-sócio de Donald Trump).

A música integrando pessoas

Desde minha época de infância, percebia que alguns dos meus melhores professores se utilizavam da música para melhorar nossa atenção e compreensão. Afinal, através dela ficava mais simples explicar vários temas de forma muito mais direta e divertida, ficando quase impossível se esquecer das matérias mais difíceis.

Segundo Marta Gil, especialista em comunicação e disseminação da informação na área da deficiência, a música utilizada no processo de aprendizagem rompe paradigmas e atitudes que sustentam e alimentam a inércia das escolas e dos sujeitos nelas contidos. É um processo de construção de conhecimento, que tem como objetivo desenvolver e despertar o gosto musical, cooperando para o desenvolvimento da sensibilidade, senso rítmico, criatividade, do prazer de ouvir música, da imaginação, memória, concentração, autodisciplina, atenção além do respeito ao próximo.

Partindo desta premissa positiva, o prefeito da cidade de São Paulo Bruno Covas sancionou a lei 17.110/2019, de autoria do vereador Zé Turin, que passou a incluir a música instrumental como disciplina extracurricular no ensino municipal da cidade, para melhorar a performance da aprendizagem dos alunos da capital.

Percebendo ainda uma grande oportunidade para o desenvolvimento de um trabalho de ação social com foco na educação nunca visto antes, o Instituto Humanus para pessoas com deficiência através do seu atual presidente Rodolfo Sonnewend, em parceria com a Fundação Bachiana, capitaneada pelo Maestro João Carlos Martins; vêm desenvolvendo o conceito de música inclusiva, com o objetivo descobrir novos talentos musicais no mundo das pessoas com deficiência e integrar músicos das mais diferentes especialidades e deficiências.

Segundo Rodolfo, uma orquestra sinfônica em ação é o melhor exemplo de ambiente inclusivo, pois poderemos provar que não existem barreiras para todas aqueles músicos cumprirem com maestria seus papeis e se incorporarem de forma plena ao conjunto harmônico musical de uma obra sinfônica, pois até os ouvidos não acostumados com a música conseguem perceber qualquer desarranjo na harmonia e se isto não ocorrer conseguiremos a plenitude do nosso projeto, ou seja: todo o contexto de uma obra musical tocada com perfeição e perfeita inclusão.

Para lançar o projeto e homenagear seus integrantes e apoiadores, o Instituto Humanus, através do seu presidente, entregou no último dia 15.10, no Teatro Municipal de São Paulo, a placa de Embaixador do Instituto para o maestro João Carlos Martins e o empresário Ricardo Bellino, que apoiam a proposta da música inclusiva. Também estiveram no evento os empresários Josimar Estevão, o doutor Paulo Zancaneli, a diretora financeira do Instituto Humanus Cleusa Mangueira Sonnewend, imprensa especializada, além do vereador ZÉ Turin que abraçou a proposta e vai leva-la efetivamente para a esfera do poder público municipal da cidade de São Paulo, para ser o palco inicial deste projeto.

Uma grande obra do processo inclusivo Educacional que vai ter início ainda neste ano e esperamos no próximo ano já termos músicos suficientes para formar uma camerata, salientou Rodolfo – presidente da Humanus.

Fiquem ligados e acompanhem este e outros projetos do universo da acessibilidade através do site www.institutohumanus.org.br é o Instituto Humanus cumprindo o seu papel de humanizar as diferenças e integrar todas as pessoas.

Deixe um comentário

ASSOCIADOS EFETIVOS

ASSOCIADOS COLABORADORES

copyright by Arquitetos da Criatividade - Design Unviersal

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support